Garimpando #4: Mac Dre

Mac-Dre-Picture-0602

A coluna Garimpando é a coluna mais recente do blog, mas já está no seu quarto volume. Depois de falarmos sobre o rei do underground, Godfather Don, falarmos sobre MC Breed e sobre os maiores discos do Queens, iremos dessa vez para Oakland garimpar o trabalho da lenda Mac Dre.

O nome verdadeiro de Mac Dre é Andre Louis Hicks. O cara nasceu em Oakland, terra do Golden State Warriors, mas se mudou para Vallejo quando moleque – ainda na Bay Area de São Francisco. O Rap no final dos anos 80 chegou forte na costa oeste dos Estados Unidos, e pegou em cheio o pessoal dessa parte de São Francisco. Mac Dre foi um dos jovens encantados com a musica. E assim, pouco tempo depois, Andre Hicks virou Mac Dre. Em 1989, com 19 anos, o rapper lançou o EP Young Black Brotha. O EP seria o primeiro passo na carreira do rapper. Várias faixas viriam a ser colocadas no disco de mesmo nome que seria lançado em 1993. Mas Mac Dre agradou o público daquela área.

Entre 1989 e 1991 o rapper gravaria três projetos (Young Black Brotha; California Livin’; Supa Sig Tapes com Little Bruce), e foi aí que tudo mudou. Vallejo era conhecida por ter bastante gangues relacionadas à roubos a bancos e outros estabelecimentos, e a Romper Room Gang era bastante conhecida por isso. Mac Dre tinha alguma afiliação com a gangue, mas segundo ele mesmo e membros da gangue, ele não participou de roubos. Não foi o bastante para a polícia, que prendeu Dre em 1992 e sentenciando o rapper a 5 anos de prisão. Ele ainda havia se recusado a dar informações sobre a gangue para o FBI, o que forçou mais ainda a sua sentença. Dizia-se que a Romper Room Gang financiava a carreira de Dre.

Porém na cadeia o rapper não parou. Em 1992, ele lançaria o EP Back n da Hood, gravado atrás das grades por meio de ligações telefônicas direto da cadeia de Fresno. A qualidade das gravações são bastante contestáveis, afinal, foram gravadas por telefone. Mas o projeto ganhou notoriedade e foi relançado duas vezes – uma em 1998 e outra em 2005. Um ano depois ele lançaria o projeto Young Black Brotha, dessa vez um LP. O projeto era meio compilação, meio novas faixas. Diversas músicas foram tiradas de projetos anteriores do rapper, inclusive o Back n da Hood, e outras foram novas faixas gravadas pelo rapper pelo telefone. Algumas dessas faixas já conhecidas pelo público foram retrabalhadas, algumas foram estendidas, como a faixa My Chevy, que dessa vez ganhou um verso da outra lenda da Bay Area, Mac Mall.

Capa do EP Back N Da Hood, gravado na cadeia de Fresno e Lompoc.

Capa do EP Back N Da Hood, gravado na cadeia de Fresno e Lompoc.

Mac Dre pararia por um tempo. Em 1996 ele voltaria com a mixtape Mac Dre Presents: The Rompalation Vol.1, essa gravada com Mac Dre ainda preso. Mas dessa vez sem rimas por telefone. Um ano depois, em 1997, o rapper seria solto da cadeia depois de cumprir os cinco anos que foi sentenciado. Ele fundou então a Romp Records e lançou o seu segundo disco, intitulado Stupid Doo Doo Dumb. O projeto tinha colaborações de inúmeros rappers da cena hyphy de São Francisco. Hyphy basicamente é o Rap vindo da Bay Area, mas os caras da época faziam uma mistura entre o Rap da costa oeste, crunk, elementos do Rap do sul americano e até Miami Bass. O resultado pode ser visto em trabalhos de Mac Dre pós-1996 e de caras como E40, Too $hort e até Lil’ B. Com o disco Rapper Gone Bad de 1999 o rapper começou a chamar bastante a atenção. Ele renomeou o seu selo, passando a se chamar Thizz Entertainment, assim evitando qualquer relação com a gangue Romper Room. Porém há muita confusão em qual gravadora o disco foi lançado até hoje. Esse disco tem a participação de Warren G, que cinco anos antes estava na Death Row fazendo sucesso com a faixa clássica Regulate. De resto, o projeto só traz rappers da Bay Area.

O Rap de Mac Dre não era profundo. O cara rimava sobre a galera dele, crimes, mulheres, armas e uma quantidade diversa de coisas. Isso fez o Rap dele nunca se tornar algo repetitivo. Você pode ouvir a sua discografia e não ficar cansado. A personalidade do cara também ajudou muito a torná-lo uma lenda na Bay Area, Mac Dre era bem humorado e sempre mostrava isso em suas capas de discos e músicas. Heart of a Gangsta, Mind of a Hustla, Tongue of a Pimp que saiu em 2000 e foi relançado em 2003, mostra bem esse lado humorado do rapper que fazia um “pimp rap” inconfundível. Mesmo assim não podemos nos confundir com o estilo dele, afinal, ele sempre mandava a real sobre as quebradas dele.

E foi pelas quebradas que ele lançou o disco Mac Dre’s the Name, considerado um street album. Um disco normal, mas que mostra muito da ética de trabalho do rapper. Seria o primeiro de dois discos lançados no ano de 2001 por ele. It’s Not What You Say… It’s How You Say It também foi lançado no ano, e fez bastante barulho. De 2001 até 2004, ano da morte de Mac Dre foram sete discos solo (Mac Dre’s the Name; It’s Not What You Say… It’s How You Say It; Thizzelle Washington; Al Boo Boo; Ronald Dregan: Dreganomics; The Genie of the Lamp; The Game Is Thick, Vol. 2), uma compilação de melhores faixas e um disco colaborativo com Cutthroat Committee. O disco Ronald Dregan: Dreganomics tem talvez o hit de mais sucesso da carreira do rapper, que se trata de Feelin’ Myself. A faixa foi parar até no filme de 2012, Fruitvale Station.

-ozyb9Wc

O rapper foi covardemente assassinado em 2004. Depois de brigar com um promotor de eventos por falta de um pagamento em um show em Kansas City, o rapper deixou o show e voltou para o seu hotel. Mais tarde no dia, passageiros de um carro roubado atiraram na van de Mac Dre, que levou um tiro na parte de trás do pescoço. O rapper morreu na hora, e o assassinado nunca foi desvendado.

Mac Dre tem músicas inéditas sendo lançadas até hoje. Aproximadamente 32 projetos já foram lançados após a morte do rapper em 2004, e com certeza vem mais por aí. O legado que Mac Dre deixou é incrível, mas ainda é um rapper subestimado. Talvez o respeito por ele se dissipe no futuro e ele seja colocado no status que merece o status de lenda do Rap.

Uma resposta para “Garimpando #4: Mac Dre

  1. Mac Dre é uma lenda, com certeza muitos ja o reconhecem! ouvi dizer que quem o matou foi o rapper fat tone que logo apos também foi morto pelo rapper Mac Minister em vingança ao Dre

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s