Comentários sobre o Top 10 da Revista Billboard

12279101_1138273009523779_5487898556641458378_n

Rankings de artistas são sempre polêmicos. O principal motivo é claramente o fato de que cada um de nós tem os seus favoritos, e os colocariam no seu Top 5, ou no seu Top 10 em questão. A Billboard, revista americana que fala sobre música, divulgou um ranking dos dez melhores rappers da história essa semana e causou muita polêmica por algumas adições, exclusões e posições.

O que não ficou claro no post da revista foi: qual o critério em que eles se basearam para a escolha dos dez artistas em questão? Afinal, é uma lista um tanto que sem sentido nenhum. Ao adicionar rappers como Jay Z e Eminem, logo nos vem a cabeça o critério do impacto e das habilidades líricas/técnicas – e quem sabe vendas. Justo. Mas e ao adicionar nomes como Lauryn Hill, Kendrick Lamar, Andre 3000 ou até mesmo Lil’ Wayne, no que a revista pensou? São artistas diferentes e que escreveram o seu nome de maneira extremamente distinta um dos outros.

Resolvi comentar as posições, com uma opinião pessoal, e jogar em debate: qual o seu top 10?

Sendo um dos maiores, a posição de Biggie não me surpreende, afinal, tudo o que lançou é considerado clássico e seu talento falava por si. Aparição incontestável. Ele ficou na frente do seu pupilo, Jay Z, posição que causou algumas reclamações. Particularmente não sou o maior fã do Jigga, mas conheço o seu valor e impacto. É outro que, sem sombra de dúvidas deveria estar nesse Top 10. Acredito que o fator que o colocou na segunda posição dessa lista, tenha sido o fato das vendas e impacto cultural – principalmente nos dias de hoje. Jay faturou milhões e tem clássicos lançados, o que é mais importante para nós ouvintes. O legado o coloca em uma lista do tipo fácil. E com técnicas comparadas à Rakim, Eminem tem lugar dentro desse Top 10 sem sombra de dúvida. Mas a posição não me desceu. Eminem, que por muitas vezes é dito como o “melhor rapper vivo”, é bastante superestimado graças a sua fanbase e o impacto que causou no Rap no início da década passada. Vamos ser sinceros, os últimos discos do rapper não são nada perto do que ele fez com The Slim Shady LP, The Marshall Mathers LP e The Eminem Show.

O já citado Rakim é um caso à parte. Lendário artista, renovou muitas das técnicas do Rap entre as décadas de 80 e 90. Seu trabalho com Eric B. foi muito bem reconhecido na época, já seu trabalho solo não é dos mais bem recebidos pelo público. Pessoalmente, é um dos meus emcees favoritos – eu tenho até um gato com o mesmo nome. A posição de Rakim não me surpreende, sendo que se o fator vendas fosse abordado, ele poderia descer muitas posições. Outro artista influenciado por Rakim foi Nas, que ficou em quinto. Jones é o meu rapper favorito, mas se eu sair da caixinha e não pensar como um fã: ele pode ser o rapper com a posição mais justa dentro do Top 10. Nas iniciou sua carreira com dois clássicos, seguidos de duas bombas. Ele revitalizou sua carreira com grandes discos que são extremamente subestimados pelo público do Rap. É outro artista de legado, que permaneceu relevante por muitos anos no cenário. Nas está no Top 5 da lista por mérito próprio, afinal, soube se renovar e continuar o legado.

https://twitter.com/JayElectronica/status/666752527224979456

A partir da sexta posição as coisas ficam um pouco mais complicadas, com artistas em posições questionáveis e aparições surpreendentes. Andre 3000 é o terceiro colocado, 3 Stacks não tem carreira solo, então como podemos compará-lo com os outros artistas da lista? Não dá. Devo deixar claro que o rapper é outro do qual sou fã. Se entrarmos nos quesitos de – principalmente – técnicas, ele é um dos melhores, assim como Big Boi. Mas o que estamos falando aqui é da lista da Billboard. O que diabos Andre está fazendo ali? (Sério). Já Lauryn Hill é incrível. Seu projeto solo, The Miseducation of Lauryn Hill, é um lindo disco, mas que nunca foi considerado um projeto de Rap. Esse por exemplo, é o principal motivo pelo qual o disco ficou de fora de uma nomeação do Grammy do gênero na época. E se formos estudar o projeto, ele na verdade é uma grande mistura entre soul e Rap, com pitadas de r&b. Hill rimava e cantava nos Fugees, o que faz dela mais do que uma simples rapper. E entrando na questão de gênero, existem sim MCs femininas melhores que ela. Novamente, a Billboard não usa critérios definidos para a lista. Ghostface Killah faz parte do meu Top 5. Discografia sólida, criatividade a mil em todos os seus discos. Ele não deve para ninguém dentro do Wu-Tang, nem mesmo para GZA – outro com discografia sólida dentro do grupo, mas sem o mesmo impacto no cenário. Para mim, Ghost deveria sim estar dentro do Top 10. Ele tem 43 anos de idade e continua lançando projetos bons mas que não são bem seguidos pelo público – pena de quem não ouviu Twelve Reasons To Die I e II. Permanecer vinte anos no jogo e ter lenha para queimar é absurdamente incrível. As duas últimas posições talvez sejam as mais polêmicas, contando com Kendrick Lamar e Lil’ Wayne. K-Dot tem menos de dez anos no cenário, o que faz para mim, impossível de adicioná-lo a uma lista que não conta com artistas que realmente tiveram um efeito intemporal, é bastante injusto. No quesito de Lil’ Wayne, o rapper de fato foi um monstro na década passada, mas que não mostrou nada de novo nos últimos anos e está – infelizmente – se tornando irrelevante. Uma pena, porque por tempos Weezy era um artista muito interessante de ser estudado, e seus projetos como Tha Carter II e III foram marcantes

Exclusões

Novamente ressalto que não entendi os critérios dos autores da lista. Se é uma lista que se baseia em impacto, onde está Tupac Shakur? Nos anos noventa, o rapper era sinônimo de Rap e marcou mais do que uma simples geração. O legado de Shakur atravessa o tempo, mas vem sendo deixado de lado por inúmeros fãs de Rap por não se adaptar nas “técnicas” ditas como referências pelos ouvintes atuais. Errado, afinal, Pac era um grande rimador. Seu flow era violento e versátil, sendo que em sua carreira, totalizou tanto como faixas agressivas como as mais calmas. E Tupac conseguiu tudo o que conseguiu em um curto espaço de tempo. O suficiente para marcá-lo na história. Junte isso ao fato de que ele seria um líder cultural dentro da música, algo que Kendrick Lamar está começando a se tornar.

E outros rappers que sobreviveram ao tempo e continuam trabalhando? Por exemplo, Scarface, Ice Cube, KRS-One, GZA, Raekwon, Mos Def, Talib Kweli e Snoop Dogg. São todos artistas que venderam bem, são reconhecidos por seu trabalho por vários nichos. E artistas já falecidos como Big L e Big Pun? Os dois eram sinônimos da expressão “MC técnico”. Seus debutes entraram para a história da nossa música, e mereciam um reconhecimento no mínimo nas entrelinhas.

A Billboard é uma revista que peca quando tratando de Rap, isso já é notório em outras formas de análises já feitas. O ranking da revista parece ser um Top 10 mais pessoal do que estudado e analisado, usando de critérios rigorosos e relevantes. O que pode acontecer é que muitos podem sim concordar com o que a publicação ranqueou, sem dúvida nenhuma. Como falado no texto, esses tipos de rankings, assim como esse post, são bastante pessoais e dificilmente se chegará a um acordo definitivo.

Vamos debater. Quem você acha deveria estar fora da lista? E quem você colocaria? Deixe o seu top 10 nos comentários!

8 Respostas para “Comentários sobre o Top 10 da Revista Billboard

  1. Uma lista onde o Nas fica na frente do Mano Brown, brother, não dá pra acreditar. Era pra ser:

    5- Mano Brown/ Nas

    Tira o Biggie daí! Se o Rakim tá acima do Nas, tem que ter o King Tee antes do Biggie.
    Tupac é o melhor rapper da história e é isso.
    E ainda me pergunto: como tem Lil’ e Kendrick e não tem KRS-1 ou Snoop Dogg?!
    Ou seja, existem os MCs preferidos de cada um, mas não há critério para selecionar os melhores. De repente, um critério que exalta um, rebaixa o outro e vice-versa. Cada um que dá o seu melhor é o melhor no que faz, como diz o Kanye.

  2. Rakim
    Nas
    Pac
    KRS-One
    Eminem
    Ice Cube
    Melle Mel
    Chuck-D
    Treach
    Notorious B.I.G
    *Nunca consigo estabelecer uma posição fixa, mas meu Top 10 é esse…

  3. Eu particularmente entendi o ponto da Billboard em lançar uma porcaria dessa. É pra causar polêmica. E funcionou. Estamos falando disso em um portal de notícias do Brasil.

    Em tempo: na minha opinião, em uma lista séria, KRS-ONE é um nome indispensável nessa lista. Tupac também. Lauryn Hill não entra nunca. Lil Wayne e Kendrick são debatíveis.

  4. Independentemente dos gostos, existem ícones dentro da cultura Hip-Hop e mais especificamente, dentro do universo rap que não podem ser deixados de fora. 2Pac é o maior rapper de todos os tempos, e o maior ícone da música rap. Construiu o estereotipo daquilo que é um rapper, orientou toda uma cultura e geração, e liderou o debate relativamente as condições sociais que os afro-americanos e latinos eram submetidos nos guetos nos EUA. Outlaw Immortalz!!

  5. A billboard é uma revista gigante e me recuso a acreditar que ninguém na edição dessa lista ache que tupac merecia ficar de fora, eles provavelmente fizeram de propósito mesmo pra causar polêmica
    quanto a critérios, não tem. nem adianta tentar entender
    o meu, baseado em técnicas/impacto/venda/poder de influencia/versatilidade/ clássicos, seria assim
    1 Pac – Shakur tem tudo dito a cima e além de tudo isso era um líder, um revolucionário, um idealista, um poeta dentro do rap literalmente

    2 Biggie – Ele era tipo um messi do rap, seu talento era muito grande e transbordava em cada verso. rappers poderiam levar 3 vidas pra melhorar e não chegariam no nível do que ele faz naturalmente

    3 Nas – O ser humano tem o costume de só idolatrar quando morre, então por isso Nas nao recebe o reconhecimento merecido. mais não deve nada pra pac&big. e ele é muito mais do que illmatic

    4 Jay Z – Tem vários discos clássicos e mesmo os que são “ruins” venderam bastante porque hova domina a indústria fonográfica. E mesmo os álbuns ruins dele são melhores que os álbuns “bons” de hoje em dia (Blueprint 3 por exemplo é melhor do q qualquer coisa q Future lançaria na vida toda)

    5 Eminem – Além das técnicas das vendas e do impacto, ele tinha sentimento nas músicas. Lose Yourself, When Im gone, Mockinbird, Stan, Kim, 97 bonnie & clyde e várias outras são quase que interpretações do rapper dos personagens que estão nas letras. e sem contar que nenhum outro artista vai colocar uma música que fale de amor doentio (violência doméstica sejamos sinceros) no topo da billboard, goste ou não de love the way you lie

    6 Rakim – Infelizmente sua falta de sucesso comercial impede que os fans de hoje em dia que pagam pau pra Young Thug e Tyga conheçam o quão GodMc era bom com o mic em mãos. o cara tinha 19 anos apenas quando lançou um dos superclassicos do gênero (run Google for that t-raw fans) e influenciou tipo, todo mundo depois dele. mais pela falta de sucesso comercial que infelizmente é importante eu não posso ele a frente dos dê cima

    7 Ice cube – Era o cérebro por trás das letras do NWA e sua discografia dispensa comentários

    8 Kanye West – Não entendo quem acha que kanye é um rapper ruim. claro que ele não é um common da vida mais olha spaceships, never let me down, all falls down, last call, thought the wire, we dont care, diamons from sierra leone, monster, new day, e tantas e tantas outras… Do jeito dele, ele faz raps incríveis, produtor genial, tem a melhor discografia da história do rap, uma das melhores da história da música, é o artista mais inovador e criativo que já teve e tmb influenciou tudo depois dele. com tudo isso, se ele tivesse habilidades liricas de um big L seria apelação demais

    9 Lil Wayne – antes do carter I e depois do IV ele não fez nada de impressionante, hoje em dia ele beira a mediocridade algumas vezes (used to) mais ainda tem momentos incríveis (m$, deep), mais isso q é interessante. nós continuamos ouvindo lil wayne porque ele pode mandar a melhor e a pior rima no memo cd, na mema música, até no mesmo verso
    ele é o rapper mais versátil q já teve, sabe rima em qualquer música se derem um arrocha pra ele consegue se encaixar, e o seu wordplay é um dos (pra mim o melhor, me julguem) melhores de todos os tempos
    I think you stand under me, if you don’t understand me – 6 foot 7 foot

    10 kendrick lamar – agente idolatra eminem basicamente só pelo q ele fez nos três primeiros álbuns, façamos o mesmo com kendrick. Section 80 é um puta cd embora um pouco ignorado, e Gkmc e Tpab dispensam comentários
    K dot é o mais próximo de 2Pac que o mundo terá, até o fim da carreira ele estará lado a lado

    essa é minha lista, como eu levei em consideração sucesso comercial não pude colocar common, mos def, kweli, scarface, Krs-one, big l e pun e tantos outros. nesse contexto poderia entrar Snoop, T.I, Ludacris e outros mais só tem 10 lugares. acho tecnicamente o André de outro mundo, mais como bem observado não tem carreira solo, assim como q tip. é isso

  6. Essa lista da billboard não tem sentido nenhum, até parece que escolheram 10 pessoas e cada uma escolheu um rapper e a lista foi montada aleatoriamente. Mas enfim, meu top 10 é bastante influenciado pelo meu gosto pessoal, mas uso também critérios como flow, técnica e complexidade das letras, impacto e inovação e a mensagem que é transmitida. Segue aí:

    1 – Tupac Shakur: Foi uma verdadeira inspiração moral. Ao longo de sua carreira, desenvolveu um flow incrível, transmitia uma mensagem sem igual e a clareza de suas letras permitia a sua música atingir todo mundo. Além disso, tinha uma versatilidade incrível, podendo cantar de maneira calma ou agressiva, músicas sobre sexo ou sobre proteger e respeitar as mulheres, músicas sobre celebrar a vida bandida ou sobre a realidade cruel das ruas e sobre correr atrás de seus direitos. Um líder além de simplesmente um rapper.

    2 – Nas: O filho de Deus é dono de uma técnica sem igual para mim, com um storytelling incrível, capaz de projetar um filme em sua cabeça quando narra sobre a vida das ruas. Além disso conforme os anos, soube se reinventar e incorporou o discurso social em suas músicas. Suas rimas são incríveis.

    3 – Ice Cube: A mente criativa por trás das letras do N.W.A, Ice Cube sempre foi extremamente provocador e sem medo de falar o que pensa (vide Death Certificate). Com um bom flow, Ice Cube traz questionamentos de cunho social, aponta a violência policial e tem um humor bem irônico, o que dá um tom bem interessante em suas músicas, especialmente as primeiras. Um verdadeiro O.G.

    4 – Chuck D: O líder do Public Enemy (Que para mim é o maior grupo de rap de todos os tempos) influenciou toda uma geração e mostrou para o mundo o orgulho negro. Particularmente, gosto bastante do flow dele. Chuck D inovou o hip-hop com seu discurso politizado (influenciou muito o Ice Cube), além de ter trazido o estilo singular de produção do Bomb Squad. Seus discos com o Public Enemy soam como um grande protesto musical. Foda.

    5 – Jay Z: Hova possui uma técnica genial, conseguindo descrever com maestria sua vida e seus corres nas ruas de Nova York. Seu esquema de rimas é muito bom, fora seu flow incrível. Jay Z é um dos poucos rappers que mesmo tendo migrado para um estilo mais voltado para ostentação, ainda têm minha admiração. Fora que é o rapper de maior sucesso comercial de todos os tempos, tendo influenciado toda uma geração de rappers que buscaram nele a fórmula do sucesso.

    6 – Mano Brown: O maior rapper brasileiro de todos os tempos possui uma técnica impecável, relata com maestria o cotidiano das periferias brasileiras e tem um flow fodasticamente foda. Os Racionais impactaram não só o rap, mas muitos outros gêneros musicais no Brasil, especialmente aqueles ligados as favelas.

    7 – The Notorious B.I.G: Biggie possuía uma técnica e um flow incríveis, herança de seus tempos de freestyle. Sua composição era bem interessante e possui grande influência em rappers como Jay Z. Big Smalls era agressivo e o conceito de seu disco de estréia, Ready To Die, é um dos melhores que já vi.

    8 – Rakim: O Deus Mc é talvez o rapper que mais teve influência em toda a história. Seu flow e sua técnica serviram de base para que rappers como Nas e Eminem fizessem tudo o que fizeram. Depois de Rakim, todos os rappers tiveram que pensar um pouco mais para conseguirem competir com ele. Embora sua carreira solo não seja muito conhecida, vale a pena conferir, especialmente o álbum The Master.

    9 – Eduardo (Ex Facção Central): O rapper mais agressivo e pesado do Brasil é o que eu mais respeito. Embora não possua um flow no mesmo nível de outros rappers nacionais, sua genialidade é simplesmente incrível. As mensagens que ele passa deveriam ser ouvidas por todas as pessoas do mundo. O cara não tem nenhum medo de falar o que pensa, e se mantém firme e forte em seus ideais, apesar do atual cenário do rap nacional ir na contramão do seu estilo.

    10 – GZA: GZA trouxe toda uma filosofia complexa para o rap, e inovou ao inserir a meta linguagem e metáforas complexas ao rap. Boa parte do que dá identidade ao Wu-Tang Clan possuem grande influência do GZA, como os filmes de kung-fu e o xadrez. Não é a toa que ele também é conhecido como Genius.

  7. Essa lista da billboard é mesmo meio estranha, não dá pra entender muito do conceito deles. Enfim, meu top 10 é bem de gosto pessoal, mas considero alguns pontos específicos, como técnica, flow, mensagem passada, impacto e relevância para o rap.

    1 – 2Pac
    2 – Nas
    3 – Ice Cube
    4 – Chuck D
    5 – Jay-Z
    6 – Mano Brown
    7 – The Notorious B.IG.
    8 – Rakim
    9 – Eduardo
    10 – GZA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s