Keep Ya Ears Up: 80’s Reloaded

The 80’s are back! Após a publicação da coletânea com 22 clássicos do rap dos anos 80, chegou a hora de revisitar a primeira grande década do Hip-Hop com mais um punhado de músicas históricas e influentes. A ideia é publicar, futuramente, compilações da década de 90, ano a ano. Portanto criamos uma nova seção, intitulada “Keep Ya Ears Up“. Fiquem de olhos, e ouvidos, atentos!

Tracklist com comentários:

01 – 1979 – Funky 4 + 1 – Rappin’ and Rocking the House

Também conhecido como Funky Four Plus One More, trata-se de um grupo do Bronx que teve, entre seus integrantes, nomes como Keith Keith, Sha Rock, DJ Breakout, DJ Baron, Rahiem, K.K. Rockwell, Li’l Rodney C! e Jazzy Jeff (sim, o mesmo Jazzy Jeff da dupla com o Will Smith). Funky 4 + 1 foi o primeiro grupo de rap a fechar contrato com uma gravadora, o primeiro a ter uma mulher MC (Sha Rock) e também o primeiro a aparecer num programa de TV (Saturday Night Live).

02 – 1983 – Grandmaster Flash & Melle Mel – White Lines (Don’t Do It)

Uma das ideias desta nova coletânea dos anos 80 era não repetir artistas, e o Grandmaster Flash já havia aparecido na primeira compilação com “The Message”. Porém, “White Lines” é puro Melle Mel solo. Mel fazia parte dos “Furious Five” que acompanhava o Grandmaster Flash, e sem dúvida foi o maior MC dos cinco furiosos. “White Lines” é uma celebração irônica a cocaína, porém ganhou o adicional “Don’t Do It” para não ficar tão pesado / politicamente incorreto. Em 95 esta música ganhou um inusitado cover da banda pop Duran Duran.

03 – 1983 – Grandmaster Caz – South Bronx Subway Rap

A revista Complex publicou uma matéria sobre os melhores rappers da história ano a ano, e Grandmaster Caz apareceu em destaque como o primeiro grande MC do Hip-Hop, em 1979. Caz também foi o primeiro rapper e DJ simultaneamente, e iniciou sua carreira com o nome Casanova Fly. Oriundo do Bronx, Caz integrou o grupo The Cold Crush Brothers, e está no jogo do rap desde 74, quando conheceu Kool Herc numa festa. Infelizmente existem poucas gravações profissionais suas, e a faixa “South Bronx Subway Rap” foi retirada da trilha sonora do filme “Wild Style”.

04 – 1985 – Mantronix – Needle to the Groove

Fundado em Nova Iorque pelo DJ Kurtis Mantronik e o MC Tee, Mantronix é uma fusão de rap com electro-funk, mostrando, ao lado do Afrika Bambaataa, a forte influência da música eletrônica, especialmente dos alemães do Kraftwerk, na criação instrumental do Hip-Hop. Muitos antes do The Black Eyes Peas com seus vocoders, ou do EDM Trap com seus synths e efeitos eletrônicos, Mantronix já mostrava ao mundo esse blend de estilos.

05 – 1986 – 2 Live Crew – We Want Some Pussy

Enfim a putaria chega ao rap de forma explícita. Altamente controverso, o 2 Live Crew fez barulho nos anos 80 com suas músicas repletas de temas sexuais. Provavelmente a influência e o legado disto no Hip-Hop não foram positivos, mas é impossível negar a força de um hit como “We Want Some Pussy” (cujo refrão é impossível não cantar junto). O grupo é de Miami e sua formação já contou com Fresh Kid Ice, Brother Marquis, Luke, Mr. Mixx, Amazing Vee e Verg

06 – 1986 – Salt-N-Pepa – Push It

Antes do Sant-N-Pepa outras mulheres já haviam se aventurado pelo rap, como Sha Rock, Lady B e o grupo The Sequence, mas nenhuma delas chegou próximo do sucesso comercial do trio do Queens formado por Cheryl James, Sandra Denton e Deidra Roper. “Push It” é um dance-rap que foi nº 1 nas paradas dos EUA e do Reino Unido, e integra o álbum de estreia do trio, “Hot, Cool & Vicious”, o primeiro disco de rap feminino a ganhar certificação de ouro e platina nos EUA.

07 – 1986 – Stetsasonic – Just Say Stet

Grupo do Brooklyn, que iniciou sua carreira como The Stetson Brothers, e cuja formação contou com Prince Paul, MC Delite, Frukwan, Wise, Daddy-O, DBC e Bobby Simmons. Este último era o “Devastating Beat Creator”, e tal apelido não era um exagero, como pode ser conferido em “Just Say Stet” com seu incrível instrumental. Foi um dos primeiros grupos a usar banda ao vivo, e é considerado um dos precursores do ‘rap alternativo’ e da fusão jazz-rap. Curiosidades: Posteriormente Frukwan e Prince Paul fundaram outro grupo, o Gravediggaz, e Wise é um dos pioneiros do Beat Box ao lado da lenda Doug E. Fresh.

08 – 1987 – Kool Moe Dee – How Ya Like Me Now

Kool apareceu na coletânea anterior, com seu lendário grupo The Treacherous Three. Nascido em Manhattan, Nova Iorque, Mohandas Dewese (seu nome verdadeiro) é um MC altamente técnico, inventor do “double time flow”, e com apenas 19 anos devastou Busy Bee no Harlem World Christmas Rappers’ Convention, considerado a primeira batalha do Hip-Hop. “How Ya Like Me Now” foi um grande hit e é uma diss para seu eterno rival LL Cool J. Kool Moe Dee acusava LL de ter roubado seu estilo e ser desrespeitoso com os antigos mestres do rap como Melle Mel e Grandmaster Caz ao se auto-proclamar o “rap’s new grandmaster”.

09 – 1987 – DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince – Girls Ain’t Nothing But Trouble

Como já vimos, o DJ Jazzy Jeff está no corre praticamente desde o início do Hip-Hop com seu grupo Funky 4 + 1. E o The Fresh Prince é ninguém mais ninguém menos que Will Smith, o popular astro de Hollywood. O duo da Pennsylvania foi uma máquina de hits nos anos 80 e início dos 90, e a alegre “Girls Ain’t Nothing But Trouble” foi um desses sucessos estrondosos, lançado primeiramente em vinil em 86, tornando-se o primeiro single da dupla.

10 – 1988 – Eazy-E – We Want Eazy (Ft. MC Ren & Dr. Dre)

Pertencente ao álbum de estreia do Eazy-E, lançado dois meses após o clássico “Straight Outta Compton” do N.W.A., “We Want Eazy” foi escrita por The D.O.C. e MC Ren, e produzida por Dr. Dre e DJ Yella. Isto sem contar as participações de MC Ren e Dr. Dre nos vocais, ou seja, temos praticamente uma música do N.W.A. aqui. Oriundo de Compton, California, Eazy-E não escrevia suas músicas e sequer era um MC de grandes habilidades técnicas, mas sua entrega e interpretação nas canções lhe transformaram numa das maiores lendas do Gangsta Rap.

11 – 1988 – Rob Base & DJ E-Z Rock – It Takes Two

O duo do Harlem lançou apenas três discos e em 2014 o DJ E-Z Rock faleceu. Mas “It Takes Two” foi um grande hit, com certificado de platina. Definido como um “hip house”,  a música foi posteriormente sampleada por nomes como Technotronic, DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince, Gang Starr, The Black Eyed Peas e Snoop Dogg, entre outros.

12 – 1988 – Ultramagnetic MCs – Ease Back

Super grupo do Bronx fundado por Kool Keith, e que já teve entre seus integrantes Ced Gee, TR Love, Moe Love, DJ Jaycee, Rooney Roon, Ronnie T e Tim Dog. A faixa “Ease Back” faz parte do disco “Critical Beatdown”, um dos melhores trabalhos dos anos 80. Tendo o dedo de Kool Keith, um dos mais excêntricos rappers da história, vocês já podem esperar algo heterodoxo e bizarro, com rimas abstratas e produção inovadora.

13 – 1989 – Beastie Boys – Shake Your Rump

Eminem tinha 14 anos quando Mike D, MCA e Ad-Rock, três garotos brancos de Nova Iorque, lançaram “Licensed to Ill” pela Def Jam e entraram para a história com o disco mais vendido do Hip-Hop até então. Misturando rap com rock, Beastie Boys se tornou um dos mais influentes nomes de ambos os estilos, e no total já venderam mais de 50 milhões de discos no mundo inteiro. “Shake Your Rump” faz parte do segundo álbum da banda, “Paul’s Boutique”.

14 – 1989 – 3rd Bass – Triple Stage Darkness

Trio do Queens composto por MC Serch, Pete Nice e DJ Richie Rich. Um dos primeiros grupos inter-raciais do Hip-Hop, mas que infelizmente durou pouco e gravou apenas dois álbuns, ambos pela Def Jam. Detalhe que eles eram tretados com os Beastie Boys e o Vanilla Ice! A ótima faixa “Triple Stage Darkness” faz parte do debute do 3rd Bass intitulado “The Cactus Album”. O disco foi um sucesso, e o trio com seu estilo variado chegou a influenciar grandes nomes como De La Soul e A Tribe Called Quest.

15 – 1989 – Def Jef – Droppin’ Rhymes on Drums

Rapper e produtor do Harlem. Lançou apenas dois discos e depois investiu exclusivamente na produção, trabalhando com Nas, Snoop Dogg, Mary J. Blige, 2Pac e Krayzie Bone, entre muitos outros. É adepto do Hip-Hop alternativo, com letras sociopolíticas. “Droppin’ Rhymes on Drums” faz parte do álbum “Just a Poet with a Soul”.

16 – 1989 – Divine Styler – Ain’t Sayin Nothin

Hip-Hop alternativo, com rimas abstratas, oriundo do Brooklyn. Lançou três discos obscuros, que não fizeram sucesso comercial, mas “Ain’t Sayin Nothin” acabou se destacando em 89, possuindo um sample muito similar ao utilizado em dois grandes hits, “Jump Around” do House of Pain e “Insane in the Brain” do Cypress Hill. Convertido ao islamismo, Divine Styler, que se chamava Mark Richardson, mudou seu nome para Mikal Safiyullah.

17 – 1989 – Gang Starr – Manifest

Guru e DJ Premier. Precisa dizer mais? Duo absolutamente lendário, que atinge o auge nos anos 90, tornando-se um dos nomes mais influentes do rap mundial. Infelizmente Guru faleceu em 2010, uma das grandes perdas do Hip-Hop. Juntos gravaram seis discos e suas carreiras solos são igualmente gloriosas, sendo que DJ Premier é, até hoje, um dos produtores mais respeitados do jogo. Guru nasceu no Massachusetts, e Premo no Texas, mas foi no Brooklyn que o Gang Starr fincou raízes e entrou pra história.

18 – 1989 – Geto Boys – Scarface

Muitos nomes passaram pelo Geto Boys, um dos grupos pioneiros do rap no sul dos EUA, mas sua formação clássica é Bushwick Bill, Willie D e Scarface. O rap do Texas possui um sabor próprio, e o Geto Boys foi um dos principais responsáveis pela consolidação desse estilo particular. Com letras controversas e extremas, que abordavam tópicos como necrofilia, misoginia, experiências psicóticas, assassinato e sexo explícito, Geto Boys influenciou uma gama enorme de artistas, entre os quais 2Pac, B.IG., Eminem, T.I., Lil Wayne, 50 Cent, etc. A faixa “Scarface” faz parte do segundo disco do grupo, “Grip It! On That Other Level”, que na ocasião era um quarteto, incluindo, além dos três supra-citados, o DJ Ready Red.

19 – 1989 – Low Profile – How Ya Livin’

Duo de Los Angeles composto por WC e DJ Aladdin. “How Ya Livin’” pertence ao único disco lançado pela dupla, o “We’re in This Together”. Posteriormente WC criaria o grupo WC and the Maad Circle (que contava com a participação de um jovem Coolio), partiria pra uma carreira solo bem-sucedida, e integraria o supergrupo Westside Connection, com Ice Cube e Mack 10.

20 – 1989 – Nice & Smooth – Funky For You

Respeitado duo do Brooklyn que inicia suas atividades em 88 e até 97 grava quatro discos sólidos. O álbum de estréia leva o nome da dupla, e possui bastante senso de humor e rimas cômicas.

21 – 1989 – Redhead Kingpin & The F.B.I. – Do the Right Thing

Grupo novaiorquino formado por Redhead Kingpin, D.J. Wildstyle, Bo Roc, Lt. Squeak, Buzz e Poochie. Gravaram apenas dois discos, mas “Do the Right Thing”, o single de estréia do grupo, fez bastante barulho na época. Eram adeptos do estilo “New jack swing”, uma fusão de rap, dance, pop e R&B. Nos anos 90 Kingpin criaria um outro grupo, o Private Investigators.

22 – 1989 – The D.O.C. – It’s Funky Enough

The D.O.C. nasceu no Texas mas desenvolveu a maior parte de sua carreira em Los Angeles, trabalhando com Dr. Dre, Eazy-E, N.W.A. e Snoop Dogg. Inclusive D.O.C. foi ghostwriter de todos os supra-citados, realizando colaborações importantes em discos clássicos. “It’s Funky Enough” foi o single de estréia de seu primeiro disco, “No One Can Do It Better”, produzido pelo Dr. Dre e um grande sucesso, com certificado de ouro. Meses depois do lançamento, D.O.C. sofreu um terrível acidente de carro e feriu gravemente sua laringe. D.O.C. só voltou a gravar em 1996 mas nunca mais experimentou o mesmo êxito de outrora. Uma pena.

23 – 1989 – Young MC – Bust a Move

Nascido na Inglaterra, mas criado no Queens, Young MC possui uma longa carreira como rapper e ator. Porém seu único hit real, pelo qual sempre será lembrado, é “Bust a Move”, do seu primeiro álbum “Stone Cold Rhymin’”. Pop-rap para balançar o esqueleto.

24 – 1989 – Queen Latifah – Ladies First (Ft. Monie Love)

Ao lado da MC Lyte, Queen Latifah foi a rapper feminina mais bem-sucedida da década, desenvolvendo nos anos seguintes uma carreira de incrível sucesso em diversas áreas (atriz, comediante, produtora, apresentadora de talk show, etc.), sendo, até os dias atuais, uma grande personalidade do show business. Nascida em New Jersey, Latifah começou no rap fazendo parte dos grupos Ladies Fresh e Flavor Unit. De contrato assinado com a Tommy Boy lançou seu primeiro disco, “All Hail the Queen”, da qual a feminista “Ladies First” é, até hoje, um dos sons mais emblemáticos da gloriosa carreira de Queen Latifah.

25 – 1989 – Stop the Violence Movement – Self Destruction

Em 88, durante um show do Boogie Down Productions e do Public Enemy, um jovem foi morto. Um ano antes, Scott La Rock, um dos fundadores do Boogie Down, foi assassinado a tiros. Então KRS-One teve a ideia de formar o Stop the Violence Movement, com a intenção de resgatar os princípios originais do Hip-Hop. A música “Self Destruction” é uma das ‘posse-cuts’ mais sinistras do rap, contando com 14 artistas, incluindo os grupos Boogie Down Productions (KRS-One, D-Nice & Ms. Melodie), Stetsasonic (Delite, Daddy-O, Wise & Frukwan) e Public Enemy (Chuck D & Flavor Flav), além dos artistas solos Kool Moe Dee, MC Lyte, Doug E. Fresh, Just-Ice e Heavy D.

2 Respostas para “Keep Ya Ears Up: 80’s Reloaded

  1. Pingback: Keep Ya Ears Up: Best of 1990 – Raplogia·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s