Keep Ya Ears Up: Best of 1993 – Pt. 2

E com vocês a segunda parte do especial de 93:

31 – Naughty by Nature – Hip Hop Hooray

Quem duvidou que o grupo fosse conseguir emplacar outro mega hit após a “O.P.P.” de 91 estava errado. Em seu terceiro disco, “19 Naughty III”, Treach, Vin Rock e DJ Kay Gee vieram com “Hip Hop Hooray”, outro sucesso estrondoso. Uma combinação perfeita de “rua” e “clube”.

32 – Ice Cube – You Know How We Do It

Em seu quarto disco, “Lethal Injection”, Ice Cube foi criticado por deixar os comentários sócio-políticos de lado em detrimento de temas puramente gangsta. Sua fome não era mais a mesma. Mas musicalmente o disco segue forte como os anteriores, e o hit “You Know How We Do It” é um G-Funk de primeira.

33 – The Roots – Popcorn Revisited

Primeira banda legítima do Hip-Hop, cujos integrantes tocam instrumentos reais. Foi formada em 87 por Black Thought e Questlove, na Philadelphia. Quase vinte músicos já passaram pela banda, que atualmente se apresenta no popular programa de TV “The Tonight Show Starring Jimmy Fallon”. O primeiro álbum do grupo foi lançado em 93, intitulado “The Organix”. A mistura de rap com ‘neo soul’ ganharia mais corpo nos trabalhos posteriores, mas o talento já era evidente aqui.

34 – Big Daddy Kane – How U Get a Record Deal?

Em seu quinto disco, “Looks Like a Job For…”, Big Daddy Kane tenta retornar ao espírito de seus dois primeiros álbuns, os melhores de sua carreira. O terceiro e o quarto contam com boas faixas isoladas, mas num todo não são discos clássicos. Apesar da queda de qualidade nas produções, BDK nunca deixou de ser um dos MCs mais técnicos do jogo, e o hit “How U Get a Record Deal?” é uma prova concreta disso.

35 – Erick Sermon – Stay Real

Dando um tempo com seu grupo EPMD (após um desentendimento bastante controverso), Erick Sermon lança seu primeiro disco solo, “No Pressure”. O som não difere muito do EPMD, sendo bastante funky e tendo Erick como produtor principal. “Stay Real” foi o segundo single e é uma das melhores músicas do álbum.

36 – Domino – Sweet Potatoe Pie

Nascido no Missouri, mas criado na Califórnia, Domino era um jovem Crip em 93 quando participou do primeiro disco do Bloods & Crips e lançou seu debute homônimo. Com nove álbuns lançados, seu álbum de estreia permanece como seu maior sucesso, o único a atingir certificado de ouro. “Getto Jam” e “Sweet Potatoe Pie” tornaram-se hit singles, e Domino foi comparado a Snoop Doggy Dogg devido ao estilo similar.

37 – Mobb Deep – Hit It from the Back

O duo do Queens composto por Havoc e Prodigy surgiu em 93 com o disco “Juvenile Hell”, que não fez sucesso e nem causou barulho na cena. Tudo mudaria dois anos depois com o lançamento do segundo álbum, mas isso é história para a ‘Best of 1995’ que publicaremos posteriormente. De qualquer forma, “Hit It from the Back” é um ótimo aperitivo para conhecer o Gangsta / Hardcore Hip Hop da dupla.

38 – MC Breed – Gotta Get Mine (Ft. 2Pac)

O veterano de Mishigan possui treze álbuns no currículo e em 93 lançou seu terceiro e mais famoso disco, “The New Breed”. Com o auxílio de The D.O.C. e Warren G, e participação de 2Pac em duas faixas, temos um G-Funk de primeira aqui, como pode ser conferido no single de sucesso “Gotta Get Mine”. Confira um especial sobre o MC Breed publicado no Raplogia.

39 – LL Cool J – How I’m Comin’

Em seu quinto álbum, “14 Shots to the Dome”, LL apresenta um misto de ‘hardcore NYC’ com ‘West Coast gangsta rap’. O single “How I’m Comin’”, com produção de Marley Marl, QDIII e do próprio LL possui um loop de bateria sampleado do mega hit “The Humpty Dance” do Digital Underground, que apareceu em nossa coletânea Best of 1990.

40 – K-Rino – Ultimate Flow

Lenda do underground de Houston, Texas, ainda na ativa, com mais de vinte discos lançados. “Stories From the Black Book” foi seu debute, considerado por muitos críticos como seu melhor trabalho. As habilidades líricas e os temas variados de suas letras fazem de K-Rino um rapper diferenciado e que merecia ser mais valorizado.

41 – Das EFX – Baknaffek

Dray e Skoob surgem com seu segundo disco, “Straight Up Sewaside”. Não fez o mesmo barulho do primeiro álbum, mas ainda temos um ‘boom bap’ clássico aqui, combinados com o flow inovador e influente da dupla.

42 – Ice-T – 99 Problems (Ft. Brother Marquis)

Chegando ao quinto disco, “Home Invasion”, Ice-T dividiu opiniões. Com certeza não possui a mesma consistência do trabalho anterior, “O.G. Original Gangster”, mas há muito o que se curtir aqui, como por exemplo a faixa selecionada, inspiração para a igualmente clássica “99 Problems” do Jay-Z.

43 – Eazy-E – Real Muthaphuckkin G’s (Ft. Gangsta Dresta & B.G. Knocc Out)

“Real Muthaphuckkin G’s” é uma das grandes diss da história, uma resposta violenta a faixa “Dre Day” do Dr. Dre, pertencente ao “The Chronic”. No auge da treta, após a dissolução do N.W.A., Eazy-E lançou o EP “It’s On (Dr. Dre) 187um Killa”, e acabou se tornando seu maior sucesso, duas vezes multi-platinado e #1 no top de rap da Billboard.

44 – Queen Latifah – U.N.I.T.Y.

O terceiro álbum de Queen Latifah, “Black Reign”, é um de seus trabalhos mais elogiados. A faixa “U.N.I.T.Y.”, o principal single do disco, possui forte mensagem anti-misoginia e ganhou um Grammy.

45 – Salt-N-Pepa – Shoop

Recentemente a faixa “Shoop” voltou aos holofotes graças a sua participação na trilha sonora do filme “Deadpool”. A música pertence ao quarto disco do trio, “Very Necessary”, um enorme sucesso com mais de cinco milhões de cópias vendidas.

46 – MC Lyte – Ruffneck

MC Lyte também chegava ao seu quarto disco em 93, “Ain’t No Other”. Seus dois primeiros álbum são aclamados e reconhecidos como clássicos do Hip-Hop, mas seu terceiro disco trouxe um som mais comercial e não agradou tanto. Aqui Lyte volta com rimas mais pesadas e ainda emplacou o hit “Ruffneck”.

47 – DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince – Boom! Shake the Room

Em 93 Will Smith estava bombando na TV com a série “Um Maluco no Pedaço” (The Fresh Prince of Bel-Air), mas ainda arranjou tempo para gravar o álbum “Code Red”, o último da dupla (posteriormente Smith gravaria quatro discos solo). “Boom! Shake the Room” foi um grande hit, cujo CD-Single vendeu mais de 600.000 cópias.

48 – Prime Minister Pete Nice & Daddy Rich – Kick the Bobo

Pete Nice foi membro do grupo 3rd Bass, e em 93 lançou seu único álbum solo, em parceria com o DJ Daddy Rich, intitulado “Dust to Dust”. Os dois singles lançados, “Rat Bastard” e “Kick the Bobo” são disses ao MC Serch, antigo colega de Pete Nice no 3rd Bass.

49 – B.O.N.E. Enterpri$e – #1 Assassin

O super-grupo de Ohio, Bone Thugs-n-Harmony, formado por Bizzy Bone, Wish Bone, Layzie Bone, Krayzie Bone e Flesh-n-Bone, lançou seu primeiro disco, “Faces of Death”, sob o nome  B.O.N.E. Enterpri$e. O sucesso só veio no ano seguinte, após fecharem contrato com a Ruthless Records do Eazy-E e lançar o EP “Creepin’ on ah Come Up”, mas fica aqui um interessante registro do debute da família Bone.

50 – MC Eiht – Streiht Up Menace

O líder do Compton’s Most Wanted só lançou seu primeiro álbum solo no ano seguinte, mas em 93 MC Eiht apareceu na trilha sonora do filme “Perigo Para a Sociedade” (Menace II Society), com a faixa “Streiht Up Menace”. A música narra a vida difícil do personagem-protagonista do filme num bairro periférico de Los Angeles, e é vista por muitos críticos como a obra-prima de MC Eiht.

51 – The Beatnuts – Reign of the Tec

JuJu, um dominicano, e Psycho Les, um colombiano, foram os criadores com The Beatnuts, o lado latino do coletivo Native Tongues, com base no Queen, Nova Iorque. O primeiro álbum só veio em 94, mas em 93 eles lançaram o EP “Intoxicated Demons”. “Reign of the Tec” foi o primeiro single, e resume bem o estilo do grupo, caracterizado por rimas bem humoradas e produções de alto nível.

52 – The Notorious B.I.G. – Party and Bullshit

Em 93, um ano antes de lançar o ultra-clássico “Ready to Die”, a lenda do Brooklyn apareceu na trilha sonora da comédia “Who’s the Man?” com a inédita “Party and Bullshit”. A faixa fez barulho na cena e elevou as expectativas para seu debute às alturas.

53 – MC Ren – Same Old Shit

Após três discos com o N.W.A., MC Ren partiu em carreira solo e lançou em 93 seu primeiro álbum, “Shock of the Hour”. Durante as gravações, Ren se converteu ao islamismo, e o disco pode ser dividido em duas partes. A primeira envolve questões sociais como a vida no gueto, dependência de drogas, racismo e pobreza. A segunda adquire tons apocalípticos, e a visão religiosa entra em cena profetizando um dia de julgamento para a América moderna. O single “Same Old Shit” pertence a primeira parte, e aconselha as pessoas a não ouvirem rumores e serem críticos sobre o que ouvem (uma mensagem que permanece mais válida do que nunca em tempos de Facebook).

54 – E-40 – Let Him Have It (Ft. Little Bruce & Kaveo)

Um dos grandes nomes da Bay-Area, E-40 debutou em 93 com o álbum “Federal”. Mas sua trajetória no rap já vinha desde 86, quando foi lançado o primeiro EP de seu grupo The Click. Portanto E-40 está entre os pioneiros do Hip Hop nesta região da Califórnia, ao lado de outros veteranos como Mac Dre, Too $hort e B-Legit. Seu estilo de rimar e sua voz possuem grande particularidade, surpreendendo até mesmo quando lida com assuntos corriqueiros.

55 – 5th Ward Boyz – Studio Gangster (Ft. Geto Boys)

E-Rock, 007 e Lo Life formavam o 5th Ward Boyz, grupo de Houston, Texas, que entre 93 a 2003 lançou sete discos, sendo os cinco primeiros pela lendária Rap-a-Lot Records. ‘Gangsta funk’ com influências de Dr. Dre, Funkadelic, N.W.A, Ice Cube, Eazy-E e Compton’s Most Wanted.

56 – Ultramagnetic MC’s – Raise It Up (Ft. Godfather Don)

Após estreiar com o excelente “Critical Beatdown” em 88, o Ultramagnetic MC’s decepcionou em 92 com “Funk Your Head Up”. Em 93 foi a hora de voltar pesado com “The Four Horsemen”, um dos grandes álbuns do ano. Ced Gee e Kool Keith se destacam entre os MCs do grupo, ambos no topo de suas criatividades.

57 – Rottin Razkals – Enough is Enough

Grupo de New Jersey composto por Chap, Fam e Diesel (irmão do Treach do Naughty by Nature). Lançaram apenas um álbum em 95, mas em 93 eles apareceram com a ótima “Enough is Enough” na coletânea do coletivo Flavor Unit MC’s, que reunia nomes como Queen Latifah, D-Nice, Heavy D, Freddie Foxxx, entre outros.

58 – Trends of Culture – Off & On

Trio novaiorquino formado por Nastee, Grapevine e M.O.L. O primeiro disco veio em 93, intitulado “Trendz…”. Pérola noventista do ‘boom bap’, com todos os ingredientes para agradar os fãs do estilo.

59 – Above the Law – V.S.O.P.

Em seu segundo álbum, “Black Mafia Life”, o grupo A.T.L. emplacou o hit “V.S.O.P.”. G-Funk na veia!

60 – Rodney O and Joe Cooley – Humps for the Blvd.

Pioneiros de Compton, California, a dupla está no corre desde o final dos anos 80, e em 93 lançaram seu quarto álbum, “Fuck New York”. O single “Humps for the Blvd.” foi um grande hit na época. Uma curiosidade é que o DJ Joe Cooley é considerado um dos grandes mestres do ‘scratch’.

Até 1994!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s