Ainda há tempo: cobrimos o primeiro show do Criolo após o relançamento do CD

É consenso: “só pode falar de vida quem vive, só pode falar de sofrimento quem sofre/ só pode falar de amor quem ama, só pode falar de flow quem desenvolve.” Em sua passagem por Juiz de Fora no dia 6 de maio, Criolo falou disso tudo e muito mais. Era o primeiro show do rapper após o relançamento do ‘Ainda Há Tempo’, e o Raplogia em parceria com o Encontro de MC’s (movimento de Hip Hop Juizforano) esteve presente no evento para fazer a cobertura da apresentação.

“Ainda Há Tempo” é um álbum clássico para o Rap Nacional e para a carreira de Criolo, portanto, a noite era de muita expectativa de todos os lados. Por ser um artista abrangente, podíamos perceber um público de enorme variedade, desde os manos e as minas que colam no RAP com suas vestimentas clássicas até o público mais “comum”, passando pelos skatistas – que marcaram presença com a AJS (associação Juiz Fora de Skate) – e que, inclusive, tinham uma pista no espaço do show para fazerem seu rolê.

A noite foi aberta por DJ Tuta no comando das pick-ups, representando o coletivo ‘Vinil é arte‘ e trazendo mais um importante elemento do Hip-Hop para essa noite de celebração. Com os discos em mãos, Tuta apresentou um repertório variado com muitos clássicos da música negra, como Tim Maia, Sabotage, Thaíde e DJ Hum (Hip Hop Cultura de Rua) e finalizou com ‘Jump Around’, que fez os B-Boys presentes na casa de show se revelarem.

tuta

DJ Tuta abre o evento | Foto: Rodrigo Ferreira

Nesse momento, o local já havia começado a encher e o público foi chegando cada vez mais perto da grade, pois o segundo palco acabara de ser aberto para receber a intervenção do Encontro de MC’s, que trouxe para o evento mais uma das raízes do Hip Hop, com batalhas de sangue e um pocket show de Marte MC, rapper local. DJ Dandan – parceiro de Criolo nos palcos e um dos fundadores da Rinha dos MC’s – acompanhou as batalhas de perto, com MC Pablo se sagrando campeão em uma final pesada contra o MC Oldi (também participaram das batalhas MC Reset e MC Souza). Logo após o público ir a loucura com rimas sangrentas, Marte MC, um dos rimadores em maior ascensão de Juiz de Fora, fez sua breve apresentação com quatro músicas, que tiveram a participação de MC Thainá, RT Mallone e Morf MC. Com uma excelente performance, o rapper (de quem eu particularmente sou fã) só fez com que aumentasse a expectativa para o grande show da noite.

tuta

Final entre MC Pablo e MC Oldi | Foto: Rodrigo Ferreira

E como se diz na Rinha: é chegado o grande momento! O palco principal se abriu e um telão que exibiu diversas imagens durante o show, auxiliando a narrativa (um trampo cabuloso do diretor de arte Alexandre Orion!) anunciava a chegada de Criolo ao palco. Assim que começou o piano do beat de ‘É o Teste’ eu me esqueci da câmera na mão e da responsabilidade de registrar o show para pular e berrar todas as linhas do som frente a frente com Criolo Doido e DJ Dandan. Após esse primeiro momento de êxtase – meu e do público – o rapper chamou sem pausa ‘Duas de Cinco’, fazendo a euforia se expandir por todo o espaço da Casa de Eventos Capitólio, que cantou junto.

Criolo obviamente cantou todas as músicas de ‘Ainda Há Tempo’, mas entre elas intercalou as músicas mais famosas e vibrantes de seus outros dois discos: ‘Nó na Orelha’ e ‘Convoque seu Buda’. Quando o MC cantou a canção homônima ao seu último álbum o público foi a loucura com os versos e ele aproveitou esse momento único para falar sobre a importância da educação e das ocupações nas escolas.

criolo-30

Criolo chama a platéia a quebrar diversos preconceitos | Foto: João Victor Medeiros

Em uma brincadeira, Criolo e Dandan se dividiram e cada um ficou com um lado da platéia para “fazer o uso da palavra”. Enquanto um dizia: “esse lado é contra a homofobia!” – e a galera ia junto – o outro dizia: “esse lado é contra o racismo!” – em uma espécie de “competição” saudável. O MC aproveitou esse instante do show para falar também sobre machismo na nossa sociedade e também no meio do Hip Hop, chamando atenção para as B-Girls, as DJ’s, as MC’s e grafiteiras que também compõem nossa cultura de forma tão plural.

criolo-43

Criolo ao fim da performance de “Não existe amor em SP.” | Foto: João Victor Medeirosm compões a nossa cultura tão amada.

Após uma breve pausa em que o comando do show ficou por conta do DJ Marco, que tocou desde ‘Rap da Felicidade’ até beats do Racionais MC’s, o telão projetou uma lua cheia e as luzes do palco se apagaram. A silhueta de Criolo se formou na frente do palco e a canção ‘Não existe amor em SP’ se fez. O momento mais emocionante do show foi acompanhado com uma energia inexplicável entre a platéia e o MC, que compuseram um espetáculo inesquecível.

O rapper falou sobre a importância do amor como agente transformador e propôs que todos presentes no local dessem um abraço na pessoa ao lado, independente de se conhecerem ou não. Confesso que acreditei que nessa hora o Neto do Síntese subiria ao palco de surpresa para cantar ‘Plano de Vôo’ mas não rolou 😦 (te perdôo, Criolo). Após esse instante emocionante de celebração e harmonia, o MC terminou o show com a vibrante apresentação de ‘Esquiva da Esgrima’ e a poesia de ‘Ainda Há Tempo.’

O Raplogia tinha conseguido com a assessoria do Criolo uma entrevista de 10 minutos antes do show, porém, devido a alguns contratempos da Casa de Eventos, o cronograma se atrasou e infelizmente não pudemos realizar a entrevista completa. No entanto, ele nos recebeu com toda atenção e carinho no camarim após o show (que estava lotado de fãs desesperados por uma foto!) e conversou brevemente conosco sobre o relançamento do CD e como ele enxerga a cena do RAP Nacional nos últimos anos.

Essa breve conversa você confere no vídeo abaixo realizado em parceria com o Encontro de MC’s:

Somos Um, Somos Hip Hop!

Cobertura jornalística e fotográfica (completa nos links): João Victor Medeiros e Rodrigo Ferreira

Uma resposta para “Ainda há tempo: cobrimos o primeiro show do Criolo após o relançamento do CD

  1. Criolo e sua poesia: fodastico, monstro, amor, inspiração pra vida… Sim, ainda ”Ainda Há Tempo”, sempre haverá tempo pra aqueles sonham. ❤ Foi lindo a intervenção do Encontro de MC’s, a galera representa demais. Que a cultura rap local ganhe cada vez mais força.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s