Review: Danny Brown – Atrocity Exhibition

Apesar de ser considerado um dos maiores nomes do hip-hop de Detroit Danny Brown ainda se mantinha uma incógnita, não pelo seu talento que sempre foi algo incontestável, mas pelo nível no qual ele poderia alcançar em um cenário global dentro do hip-hop. Seu primeiro projeto a ganhar maior destaque, o álbum “XXX”, já mostrava um talento emergente, um artista com uma vida conturbada e um dos flows mais peculiares dentro do rap. Em “Old”, Danny mantém a pegada do seu projeto anterior, caminhando pelo experimental o álbum se torna trilha sonora dos principais festivais e festas norte-americanas, com uma abordagem mais voltada ao consumo de drogas e festas, “Old” consegue atingir um público até então desconhecido por Danny. Com um apelo comercial maior “Old” pode ser considerado um trabalho bastante sólido na carreira de Danny Brown, mas não excepcional.

Atrocity Exhibition” é o álbum que coloca Danny Brown em um novo patamar como artista, explorando áreas antes inexploradas esse projeto traz a evolução do rapper que utiliza toda sua capacidade criativa e nos faz entrar em seu universo obscuro e caótico.

O álbum se destaca já nos primeiros segundos por sua produção que nos remete a grandes projetos do hip-hop abstrato, como alguns trabalhos lançados pela Stones Throw, como o clássico “Madvillainy“, gravado em parceria por MF DOOM e Madlib. Canções curtas com beats grudentos que se encaixam perfeitamente com o flow ácido de Danny. Para um artista que sempre andou lado a lado com estilos como o grime, “Atrocity Exhibition” mergulha de cabeça no experimental e proporciona uma sensação incrível, como as guitarras psicodélicas na track de abertura, “Downward Spiral”, que criam o clima perfeito para entrar no universo conturbado no qual Danny está prestes a apresentar. Os dois minutos de um sample repetitivo em “Lost” trazem algumas das melhores, e hilárias, rimas de Danny Brown nesse álbum:

I’m like Kubrick
With 2 bricks
And hoes on the strip
Off a 2 piece
A toothpick I flick
And I preach

“I‘m like Spielberg
With ill words and hoes on that curb
Gotta screw loose
I’m cuckoo
Mentally disturbed
But still smart enough
To hit this bitch wit a rubber
And with ya wrinkle pussy

A temática do álbum gira entorno da conturbada vida de Danny Brown, consumo excessivo de drogas e o abuso de álcool estão presentes em quase todas as músicas e mostram uma figura com pensamentos obscuros e depressivos em vários momentos. Como em “White Lines“, onde Danny narra, sobre um instrumental muito bem produzido por The Alchemist, seu consumo de drogas e as consequências que isso lhe gera.

Outro ponto positivo de “Atrocity Exhibition” são suas participações, com destaque para Earl Sweatshirt, que traz toda agressividade de seu flow na faixa “Really Doe”.

Atrocity Exhibition” é, sem dúvidas, o melhor projeto de Danny Brown, suas melhores músicas, seus melhores versos estão presentes neste álbum. Danny traz suas experiências e as aborda junto a um compilado de bons instrumentais atingindo um nível no cenário do rap que todos sabíamos que ele era capaz.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s