Review: Gucci Mane – Woptober

woptobergucci

Antes de analisar Gucci Mane como rapper e debater sobre seu talento é interessante observar a relevância que a figura de Guwop possui dentro do rap, especialmente falando de trap e southern rap. Admirado por muitos, Gucci Mane se tornou um dos precursores do trap e southern e um dos nomes mais influentes de Atlanta. Atualmente sua carreira vem tomando rumos interessantes, principalmente devido a sua recente estada na prisão, o que ajudou a aumentar o hype em cima de seu nome. Apesar de ter sido um dos nomes mais ativos durante a última década, lançando inúmeros álbuns e mixtapes e colaborando com diversos artistas, Gucci se destacou mais por sua personalidade e figura como mentor, do que por seus trabalhos muitas vezes considerados medíocres.

Sua referência dentro do trap só aumentou durante sua estada na prisão, a imagem de “Trap God” ganhou força e fez com que Guwop influenciasse e ganhasse a admiração de vários nomes. Com a sua saída da cadeia e o lançamento do álbum “Everybody Looking” pudemos observar que a prisão fez bem a Gucci, pois “Everybody Looking” é seu melhor álbum. Gucci Mane nunca esteve tão coerente e lúcido como nesse projeto, desde fatores de produção à participações, até a maneira como Gucci aborda alguns aspectos de sua vida fazem de “Everybody Looking” seu trabalho mais bem fundamentado.

Woptober” oscila entre a agressividade e a monotonia, a produção apesar de não apresentar nada de extraordinário consegue ser eficiente. Zaytoven, London On Da Track, Metro Boomin, Southside, Da Honorable C.N.O.T.E. fazem o dever de casa apresentando bons beats ao álbum. As participações também se destacam, especialmente Rick Ross e Travis Scott. Porém a temática repetitiva torna “Woptober” monótono em alguns momentos, onde Gucci insaciavelmente rima sobre como ele ganha muito dinheiro, ou sobre os bens materiais que compra ou as mulheres que querem sair com ele, toda essa superficialidade tornam o projeto vazio, deixando um buraco que poderia ser preenchido por uma abordagem mais subversiva sobre aspectos da vida de Gucci Mane, como é feito em alguns momentos de “Everybody Looking”. A track “Addicted” é a música mais profunda desse álbum, onde Gucci rima sobre seus vícios e fala sobre os problemas que isso lhe causou e como ele está tentando se livrar de tudo isso, além de abordar os problemas com drogas presentes em sua família e seu circulo de convivência desde sua infância.

Woptober” diminui um pouco a chama que acompanha Gucci Mane desde sua saída da prisão, mas jamais pode ser considerado um álbum ruim. Os instrumentais compensam, em alguns momentos, a temática repetitiva, mas Gucci mantém sua linha de coerência que vem o acompanhando desde seu último álbum.

Uma resposta para “Review: Gucci Mane – Woptober

  1. Thanks pelo trap Gucci Mane,graças a ele (e a internet claro) o rap brasileiro está finalmente entrando em um certo nível de mainstream,quando se imaginaria ter um monte de vídeos de rap br com 2,5 milhões de views,sem contar uns hits que tem mais de 10,15 milhões tudo em um mesmo ano,o bagulho tá ficando louco.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s