20 músicas essenciais para você conhecer o A Tribe Called Quest

O A Tribe Called Quest anunciou a sua volta com o disco final da carreira do grupo. Em Março desse ano, Phife Dawg nos deixou, e uma reunião do grupo parecia carta fora do baralho, mas em entrevista para o New York Times, Q-Tip revelou que o desenvolvimento de um projeto final já era preparado há algum tempo antes da morte do rapper.

O sexto disco do grupo, We Got It From Here… Thank You 4 Your Service, sairá nessa sexta-feira (11). Esse será o primeiro álbum do ATCQ desde 1998, quando o grupo lançou The Love Movement. Brigas e discordâncias fizeram o grupo acabar e se juntar poucas vezes durante esses 18 anos de hiato para shows e aparições em turnês. Não tivemos até agora muita coisa revelada sobre o projeto final, mas a ansiedade dos fãs de rap é enorme.

Mesmo sendo um dos grupos mais lendários da história do gênero, existem pessoas que ainda não conhecem o trabalho deles. O Raplogia lista então 20 faixas essenciais do grupo para você conhecer o A Tribe Called Quest e ir atrás dos álbuns – felizmente todos estão disponíveis no Spotify. Sem mais delongas, vamos lá:

Description of a Fool

Description of a Fool” é a primeira música gravada pelo grupo, mas é muito pouco conhecida pois nunca foi lançada como single e é a última faixa do disco People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm.

Mesmo desconhecida, a música é muito interessante. Q-Tip fala sobre pessoas que agem de maneira babaca, como um traficante, um homem que bate em sua mulher e quem reage a violência.

I Left My Wallet in El Segundo

O grupo estreou com o single “I Left My Wallet In El Segundo” em Abril de 1990. Essa era uma das músicas que saíram do contrato de demo com a Geffen Records, que passou a contratação deles para outra gravadora – a Jive Records assinou com eles.

Parte do disco People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm, a música narra as desventuras de Q-Tip e sua trupe na cidade de El Segundo, onde ele esqueceu sua carteira e nos conta a história em uma cômica narrativa.

Bonita Applebum

Em mais uma música com Q-Tip cuidando das rimas, mais um clássico. “Bonita Applebum” é o segundo single do grupo, também do disco People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm.

Produzida pelo grupo, ela dá o tom que os fez conhecido por toda a carreira: inspiração no jazz e a extrema calma do instrumental. Nesse som Q-Tip rima sobre uma mulher chamada Bonita Applebum, que segundo reza a lenda, era uma garota dos tempos de escola do grupo. É uma das músicas mais famosas do ATCQ, e você tem que ouvir.

Can I Kick It?

Can I Kick It?” também é parte do People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm. Ela foi gravada em 1989, também sendo parte do acordo com a Geffen para o grupo gravar uma demo.

É uma das músicas mais conhecidas do grupo. Ela é bem descontraída e traz repletos samples, algo que eles sempre fizeram. Essa é a primeira faixa da nossa lista a conter rimas de Phife Dawg, que detona em um ótimo segundo verso.

Excursions

Excursions” abre o segundo disco do grupo, intitulado The Low End Theory e considerado por muitos o melhor da discografia do ATCQ.

Apenas Q-Tip rima na música, mas ela já avisa o que vem por aí. Mais uma vez, o grupo busca inspiração no jazz para compor seus instrumentais, e aqui isso também é bem notável. Tip também fala bastante sobre a África, espalhando o afrocentrismo pelo cenário musical, o que é frequente no trabalho deles. Clássica abertura de álbum, uma faixa essencial para conhecer as inspirações ideológicas do grupo.

Buggin’ Out

Logo após “Excursions” temos a não menos importante “Buggin’ Out“, a faixa que tem o mesmo nome do personagem de Giancarlo Esposito no filme Do The Right Thang (Faça a Coisa Certa, 1989).

“No need to sweat Arsenio to gain some type of fame/No shame in my game cause I’ll always be the same”
– Phife Dawg

Essa música é marcada pelos incríveis versos de Phife Dawg, nela já pode-se perceber que a participação dele nesse disco será muito mais importante que no anterior.

Check the Rhime

Check the Rhime” é uma das minhas favoritas do grupo. Também parte do disco The Low End Theory, ela traz Phife e Q-Tip mandando quatro versos, sendo dois deles uma troca de linhas entre eles, o que é uma das coisas mais bacanas dessa faixa.

Nessa música ambos MCs falam sobre suas respectivas adolescências, contando histórias e falando sobre o cenário da época. Mais uma vez Phife Dawg prova ser um talento lírico do mesmo nível que Q-Tip.

Jazz (We’ve Got)

Segundo single do disco de 1991, “Jazz (We’ve Got)” é reconhecida pela sua produção, que originalmente era de Pete Rock, porém, foi refeita por Q-Tip e traz uma grande influência do jazz com trompete, piano e o snare ao fundo.

O vídeo da música é dividido em duas partes, e é extremamente conhecido principalmente pela parte que traz a faixa “Buggin’ Out“. “Jazz (We’ve Got)” também é conhecida pelas cutucadas que Phife Dawg deu no gênero new jack swing – “Strictly hardcore tracks, not a new jack swing,” solta o MC. A linha ganhou a ira do grupo Wreckx-n-Effect.

Scenario

O terceiro single do The Low End Theory é um tremendo clássico. “Scenario” é uma faixa em colaboração com o grupo Leaders of the New School, que era encabeçado por ninguém menos do que um jovem Busta Rhymes.

Com cinco versos, a faixa mistura versos de membros do ATCQ (Phife Dawg e Q-Tip) e do LONS (Charlie Brown, Dinco D, e Busta), sendo considerada uma das maiores possecuts da história. O vídeo também traz uma tremenda originalidade, misturando as gravações com a interface de um computador da época e trazendo cameos de pessoas como Redman, membros do De La Soul, Fab 5 Freddy e Spike Lee.

Hot Sex

Originalmente feita para o filme Boomerang (O Príncipe Das Mulheres, 1992) de Eddie Murphy, a música “Hot Sex” entrou como bônus em dois discos do grupo, Midnight Marauders e The Love Movement.

Ela traz uma mistura de jazz com funk no refrão, com Phife e Tip rimando sobre minas e com tiradas irônicas aos “otários” do cenário. O vídeo traz Q-Tip usando uma máscara, o que foi feito para cobrir um hematoma que recebeu após uma briga.

Steve Biko (Stir It Up)

Phife Dawg e Q-Tip abrem o terceiro disco do grupo Midnight Marauders com a música “Steve Biko (Stir It Up)“, fortalecendo a temática de rimas edificantes e politicamente engajadas.

O título da música vem do ativista anti-apartheid sul-africano Steve Biko, e a música traz um pouco desse peso político nela.

Award Tour

Award Tour” é o primeiro single do Midnight Marauders, de 1993. Trazendo a participação de Dave do De La Soul (creditado como Trugoy the Dove), a música é uma grande celebração do sucesso do A Tribe Called Quest e do coletivo Native Tongues.

O refrão é lendário, fazendo referência ao sucesso dos artistas, Dave traz quatro linhas viciantes. Até hoje essa é a música do ATCQ que chegou a melhor posição dos charts americanos e ao redor do mundo.

8 Million Stories

Phife Dawg rima sozinho na faixa produzida por Skeff Anselm. “8 Million Stories” é uma ótima música do grupo, nela o rapper parece contar diversas histórias a cada linha que passa.

É muito interessante ouvir essa faixa para ver a capacidade de narrativa de Phife e confirmar seu talento.

Sucka Nigga

Com um verso e um refrão, Q-Tip reflete seus pensamentos sobre a polêmica palavra “nigga”, falando sobre o uso dela no hip-hop e as pessoa que ainda têm um problema com isso.

A música é bem lembrada pela introdução que é retirada do filme Wild Style e que aparece em alguns momentos da faixa. “Eu sei do background ruim da palavra, mas eu estou representando as ruas. Todas as crianças nas ruas sabem de onde essa merda vem,” disse o rapper para a Vibe na época.

Electric Relaxation

Electric Relaxation” é o segundo single do Midnight Marauders, e uma reconhecida faixa do grupo. Tema de abertura do seriado The Wayans Bros, a música fala sobre relaxar ao lado de uma garota.

Com uma pegada muito relaxante (o título reflete exatamente a sensação da música), temos a famosa troca de versos de Phife e Tip na música.

Oh My God

Oh My God” traz Busta Rhymes para mais uma colaboração com o A Tribe Called Quest,  mas dessa vez o rapper apenas está no refrão.

A produção da música chama a atenção com uma linha de baixo vinda da faixa “Absolutions” de Lee Morgan, que é reconstruída para encaixar no instrumental calmo.

1nce Again

1996 chegou e trouxe o quarto disco do grupo, intitulado Beats, Rhymes and Life. Nota-se uma mudança da pegada mais positiva dos álbuns anteriores, aqui eles rimam sobre temas mais profundos e pesados.

O primeiro single é “1nce Again“, que tem uma espécie de ligação com “Check The Rhime“. O início dela é referente a música de 1991, e o vídeo é uma espécie de sequência.

O que faz da música um clássico além dos ótimos versos de Phife e Tip, trata-se da sua produção. O disco Beats, Rhymes and Life é inteiramente produzido pelo coletivo de produtores The Ummah, formado por dois membros do ATCQ (Q-Tip e Ali Shaheed Muhammad) e por um jovem J Dilla. Sendo esse o primeiro single do projeto, podemos entender que ele é o início desse projeto de produção desses artistas. O refrão é de Tammy Lucas.

Stressed Out

Faith Evans faz o refrão de “Stressed Out“, uma das últimas grandes músicas desenvolvidas pelo grupo. Também produzida pelo coletivo The Ummah, essa faixa traz a participação de um jovem (e primo de Q-Tip) Consequence.

A presença de Consequence é constante no disco, o que causou estranhamento na química do grupo. Mas a verdade é que a realidade do A Tribe Called Quest não era a mesma ne época. Phife e Q-Tip tinham desavenças que perduraram durante muitos anos.

O verso de Phife em “Stressed Out“, mas não aparece no disco.

Find A Away

Find It Away é o primeiro single do último disco do grupo até então, The Love Movement. Ela é bastante reconhecida pelos fãs. Phife e Q-Tip falam sobre “amizade x sexo” com mulheres de uma maneira bem suave.

O trio The Ummah cuida da produção – a faixa tem muito a cara de J Dilla. É o último grande single do grupo, já que Like It Like That não foi tão bem recebido como esse.

“Sabíamos muito bem antes de gravar o disco que esse seria o último. Você deve se preparar pois essa é a última dança. É estranho chamar o disco de The Love Movement pois não tem nada de amor nele, não estávamos amando lanãr o álbum, e não nos amávamos na época. Deveria ter sido chamado de The Last Movement,” disse Phife Dawg em entrevista anos depois.

Like It Like That

O último single do grupo até então traz apenas Q-Tip nas rimas e usa uma versão modificada do instrumental de “Electric Relaxation“.

É interessante para ouvir o último registro do grupo, mas não é uma grande faixa como outras da história do ATCQ.


Até o lançamento de We Got It From Here… Thank You 4 Your Service se você não conhece o trabalho do A Tribe Called Quest, pode ouvir essa lista de músicas e ir se familiarizando com o trabalho dos lendários artistas. No futuro é bem possível que essa lista conte com mais algumas faixas desse novo projeto que sai na sexta-feira (11).

Fiquem ligados no site para o lançamento do disco do ATCQ e novas matérias. Espero que tenham gostado do post, deixem suas músicas favoritas nos comentários.

4 Respostas para “20 músicas essenciais para você conhecer o A Tribe Called Quest

  1. Pingback: Confira a tracklist do novo álbum do A Tribe Called Quest – Raplogia·

  2. Pingback: A Tribe Called Quest lança o seu último álbum – Raplogia·

  3. Pingback: Em uma belíssima noite, o A Tribe Called Quest performou no Saturday Night Live – Raplogia·

  4. Pingback: Review: A Tribe Called Quest – We Got It From Here… Thank You for Your Service – Raplogia·

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s