4 motivos para você ouvir o disco “Cashmere”, do grupo Swet Shop Boys

swet-shop-boys-cashmere-lo-res

Passando despercebido por grande parte dos fãs de rap, o Swet Shop Boys é formado por dois americanos e um inglês. Heems (ex-Das Racist) e o produtor Redinho, são o lado “ianque” do grupo. Riz Ahmed, o Riz MC, é o representante do Reino Unido. Mas identificação com esses país, é o que esse disco menos tem. Cashmere é um projeto que explora bastante as raízes paquistanesas e punjabis de Riz e Heems respectivamente, tendo muita influência na música típica dessas terras.

Heems é conhecido do público que acompanha o hip-hop alternativo por ser um dos membros do famigerado grupo Das Racist, um coletivo com rimas extrovertidas, mas extremamente politizadas que marcou o cenário na virada da década. Riz MC é mil e uma utilidades. Como ator em 2016, ele estrelou a ótima série da HBOThe Night Of, onde ao lado de John Turturro fez uma das melhores produções da televisão no ano. Ele ainda está no novo filme de Star Wars, intitulado Rogue One. Se não fosse o bastante, o disco Cashmere veio para fechar o ano de maneira magistral.

Cashmere é diferente. Heems e Riz MC rimam bastante sobre suas origens e descendências indianas e paquistanesas respectivamente. É muito bacana ver os rappers abordarem de uma maneira bem tranquila algumas situações que passam, como racismo em aeroportos, nas ruas e estereótipos. Redinho completa os Swet Shop Boys com produções ótimas, sampleando músicas árabes e hindu, deixando tudo com uma cara bem original.

Estamos aqui para juntar 4 motivos para você ouvir o disco Cashmere dos Swet Shop Boys.

A originalidade é um ponto forte do disco

swet-shop-boys-guide-us-through-the-weird-and-wonderful-qawwali-influences-behind-cashmere-1474637683

O trabalho de Redinho nas produções de Cashmere é um dos grandes trunfos do disco. É impossível falarmos do projeto sem citar o produtor que tem alguns registros interessantes no currículo.  O produtor garimpou diversas músicas árabes e do sul da Ásia para samplear e deixar o disco com uma cara original e que se relacionasse bastante com a temática abordada pelos MCs.

Riz Ahmed é um dos fenômenos do ano

riz-ahmed-the-night-of

No início de 2016, Riz MC lançou o disco Englistan, projeto solo e bastante pessoal que dá início ao belíssimo ano do artista. Como ator, ele viu sua carreira ser alavancada pelo sucesso da série The Night Of, uma produção da HBO que foi iniciada por James Gandolfini (The Sopranos) antes da sua morte. O ator/rapper contracenou ao lado de John Turturro uma poderosa série sobre o sistema penitenciário americano e sobre a vida dos imigrantes paquistaneses nas cidades americanas.

Ainda esse ano, Riz foi escalado para aparecer no spin-off de Star Wars, Rogue One, filme que estreou no dia 15 de Dezembro e está sendo muito elogiado pela crítica. Ouvir ou assistir Riz Ahmed é uma ótima pedida, ainda mais depois desse incrível ano.

O disco é bastante politizado

Em uma das rimas da faixa “T5”, Riz MC solta: “Trump quer minha saída, mas se ele apertar o botão vermelho da Netflix eu apareço,” em um protesto sobre a política com os imigrantes do presidente eleito nos Estados Unidos. Cashmere é repleto de linhas desse estilo. Eles tocam em assuntos importantes como a situação de imigrantes e refugiados em todo o disco, o que trata-se de um assunto bastante atual.

Heems é quem lidera as rimas de cunho mais consciente, algo que ele sempre fez e tem uma facilidade tremenda para. Riz rima bem, mas é o ex-Das Racist quem se destaca ao abordar temas mais sérios. O trabalho solo de Heems é repleto de versos nesse estilo, por exemplo, a música “Soup Boys”, que fala sobre preconceito contra o povo punjabi e o uso militar de drones.

Você pode relembrar um pouco do Das Racist

heems_swet_shop_boys

Entre 2008 e 2011, o grupo Das Racist fez muito sucesso na cena alternativa do hip-hop. O trio formado por Heems, Kool A.D. e Dapwell tinha uma pegada bastante sarcástica e ácida, sempre rimando de maneira inteligente e despretensiosa. O Das Racist acabou em 2011, cada um tomou o seu rumo e Heems achou uma parceria com Riz Ahmed.

As rimas de Heems evoluíram, mas você consegue muito bem se lembrar do rapper que fez sucesso no Das Racist. É uma grande pedida para os fãs do extinto grupo.


O disco está disponível em todas as plataformas digitais. Confira abaixo no Spotify:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s