O Rap pelo mundo – Angola

Vocês pediram e o Raplogia atendeu! Vencedor da votação no Twitter, Angola é um país com artistas fantásticos, que possuem uma riqueza incrível de conteúdo em suas letras e sonoridades magníficas.

Destaco 5 MCs no texto abaixo, além de recomendar mais 5 rappers para quem quiser se aprofundar no assunto. Simbora!


Eva RapDiva

eva rapdiva


Aos 12 anos de idade, Eva Marise Cruzeiro Alexandre dava os primeiros passos no mundo do hip-hop, arriscando rimas improvisadas. Destacou-se nas rodas de freestyle em Portugal e começou a gravar participações em álbuns e mixtapes de artistas consagrados na cena portuguesa, como Sam the Kid.

Em 2009, a rapper decide retornar para Angola e muda-se para a cidade do Lobito. Dois anos depois, vai para a capital angolana e passa a apresentar o programa Beatbox na Rádio Luanda. Em 2013, Eva apresenta seu primeiro disco, Rainha Ginga do Rap,  lançado oficialmente em abril de 2014. O último lançamento da MC foi o álbum Eva, em março deste ano.


Ikonoklasta

ikonoklasta


O rapper e ativista Luaty Beirão, também conhecido como Ikonoklasta ou Brigadeiro Mata Frakuzx, é um dos exemplos de militância no hip-hop e símbolo de resistência ao governo do presidente José Eduardo dos Santos, que está no poder desde 1979 e anunciou a aposentadoria em março deste ano, indicando como sucessor o atual Ministro da Defesa, João Lourenço.

Ikonoklasta lançou o primeiro trabalho em 2006, denonimado As Melhores Coisas na Vida São De Graça.  O trampo mais recente do rapper é a mixtape Que Se Foda, Vai Já Assim (Volume Amarelo 2015).

Acusado de planejar um golpe, Ikonoklasta e outros 14 ativistas foram presos preventivamente em 2015 pelo governo angolano e o MC passou por uma greve de fome de 36 dias como forma de protesto. O rapper tem um vocabulário apurado e letras com fortes críticas sociais, além de dominar a arte do storytelling , a exemplo da faixa Puzzle Sonoro.


Kid MC

Kid MC


Um dos artistas mais talentosos de Angola, Kid MC iniciou a carreira no grupo Aliança do Subsolo, criado em 2002. Anos mais tarde o grupo se extinguiria e Kid juntou-se a Vulkaum, outro ex-integrante, para lançar a mixtape 2 por 1, 1 por 2.

Começou a estourar de fato em 2008, após assinar com o selo independente Mad Tapes e lançar o álbum Caminhos, com produção de nomes como Flagelo Urbano, Raiva Kamikaze, Dilan, Wagisa, entre outros. Os trabalhos mais recentes do artista foram os discos Dois Lados da Mesma Moeda, lançado em 2016, e Confronto de Titãs, uma parceria realizada este ano com Dji Tafinha.

Ele também lançou 2 sons com produção do brasileiro DJ Caique, um deles fazendo parte da mixtape Coligações Expressivas Vol. 3


SSP

SSP


South Side Posse, ou apenas SSP, grupo formado inicialmente por Big Nelo, Jeff Brown, Paul G e Kudy. O quarteto formado em 1991 é considerado uma lenda do hip-hop angolano. No início da carreira, faziam apresentações ao vivo em escolas e comunidades.

Em 1996, lançaram o álbum de estreia intitulado 99% de Amor. O disco teve muita relevância na época e foi importante para o reconhecimento do rap como música, pois até então o gênero sofria muito preconceito. O grupo lançou mais três álbuns de estúdio: Odisseia, Operação Alfa e Amor e Ódio. Este último também foi gravado no Brasil com colaboração de Djavan. Na ocasião, o SSP tinha uma formação diferente, sem Paul G e Kudy.

O grupo ficou ativo até o final de 2005, mas existe a possibilidade de uma reviravolta. Em janeiro deste ano, Big Nelo anunciou o retorno do quarteto em sua conta pessoal do Instagram.


MCK
MCK


Com mais de 20 anos de trajetória no hip-hop, MCK ou MC Kappa é um rapper nascido em Luanda e um dos expoentes de sua geração. Suas composições possuem forte cunho político e social. Ao longo da carreira, tem 3 discos produzidos: Trincheira de Ideias, Nutrição Espiritual e  Proibido Ouvir Isso. Também possui um projeto com Ikonoklasta chamado Ikopongo.

O artista tem enfrentado problemas com o governo angolano e já teve álbuns apreendidos, espetáculos interditados e até mesmo a casa arrombada. O episódio mais chocante foi o assassinato do jovem Arsénio Sebastião, vítima da guarda presidencial em 2007 por cantar uma música de MCK chamada A Téknika, as Kausas e as Konsekuências. Mesmo assim, o rapper segue contestando o regime político vigente.


Outros nomes: Vanda Mãe Grande, Força Suprema, Flagelo Urbano, Miss Skill e Eddy Flow.

Curtiu as dicas? Você escolhe pelo Twitter o próximo país que vamos pesquisar e recomendar o melhor do rap pelo mundo.

Uma resposta para “O Rap pelo mundo – Angola

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s